Quarta, 12 de Maio de 2021 12:11
77 99962-1243
Nacional AGENDA DE TRABALHO

Ivana Bastos debate divulgação de cartilha para mulheres candidatas às eleições

No encontro, foi estabelecido que a Secretaria Nacional da Mulher, juntamente com a Unale, fará a publicação e propagação da cartilha, que tem como objetivo guiar as candidatas e pré-candidatas nas eleições municipais de 2020.

22/04/2020 15h57
Por: Redação Fonte: Assessoria de Comunicação Gab. deputada Ivana Bastos
Ivana Bastos debate divulgação de cartilha para mulheres candidatas às eleições

A última segunda-feira (20), foi marcada por mais um encontro produtivo nas agendas de trabalho da Unale. Desta vez, a deputada Ivana Bastos e a presidente da Secretaria de Mulher da entidade, deputada Janete de Sá, a secretaria nacional de Políticas para Mulheres do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Cristiane Brito, e a Presidente da Comissão da Mulher da Ordem dos Advogados Brasileira do Acre, Isnailda Gondim, discutiram sobre a publicação de uma cartilha com informações para mulheres que serão candidatas nas eleições municipais.

No encontro, foi estabelecido que a Secretaria Nacional da Mulher, juntamente com a Unale, fará a publicação e propagação da cartilha, que tem como objetivo guiar as candidatas e pré-candidatas nas eleições municipais de 2020. A minuta do material foi enviada para a Unale para avaliação e as devidas contribuições no conteúdo.

Para Ivana Bastos essa cartilha será de fundamental importância para potencializar o trabalho de ampliação da participação da mulher na política. “Através desse material e por meio da Unale, buscaremos utilizar esse conteúdo pelas Casas Legislativas do país, utilizando, em especial, as redes sociais, ferramenta de grande alcance para a disseminação das informações”, ressaltou. 

Determinação do Fundo para Mulheres candidatas

Foi também destaque na reunião, a determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em vigor desde junho de 2018, por meio da Resolução 23.575, que todos os partidos políticos devem repassar 30% dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) para candidatas mulheres.

“Essa obrigatoriedade pode transformar e trazer uma mudança representativa na participação da mulher na política e que pode impactar nas eleições de 2022. Percebemos que os partidos buscam mulheres potencialmente elegíveis, visto que deverão obrigatoriamente destinar este recurso para suas campanhas.” Disse a secretária nacional, Cristiane Brito.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.