Quarta, 12 de Maio de 2021 10:46
77 99962-1243
Regional FALECIMENTO

Caetité: Jovem universitária guanambiense morre após ingerir grande quantidade de comprimidos

Bruna fazia uso constante de remédios por conta de um tratamento de depressão. Não há informações se ela já teria tentado suicídio em outras oportunidades.

16/04/2021 11h29
Por: Redação Fonte: Portal Vilson Nunes
Fotos: Reprodução
Fotos: Reprodução

A guanambiense, identificada como Bruna Stefani Castro Alves, de 21 anos, morreu na tarde desta quinta-feira (15), após ingerir uma grande quantidade de comprimidos de um remédio de uso controlado. O fato aconteceu na residência, onde ela morava na cidade de Caetité (BA).

De acordo com informações obtidas pelo PORTAL VILSON NUNES, a jovem teria enviado áudios de despedidas às colegas de faculdade. Estranhando da situação, as estudantes foram ao local, mas o apartamento estava todo fechado. Na ocasião, a porta foi arrombada e neste momento encontraram Bruna caída. Ela foi socorrida imediatamente pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), no entanto, a paciente sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu.

Bruna fazia uso constante de remédios por conta de um tratamento de depressão. Não há informações se ela já teria tentado suicídio em outras oportunidades.

Os pais da jovem residem na fazenda Retiro, na  região do distrito de Morrinhos. O horário do sepultamento será divulgado posteriormente. A falecida é sobrinha do vereador de Guanambi – Homero Castro.

NOTA DE PESAR

A jovem cursava o 3º semestre de Letras – Língua Portuguesa e Literaturas, na UNEB Campus VI, em Caetité. A instituição emitiu Nota de Pesar compartilhando condolências à família. A direção também comunicou a suspensão das atividades acadêmico/administrativas no Campus nos dias 15 e 16 de abril.

Nas Redes Sociais, diversos amigos da jovem manifestaram mensagens de solidariedade aos familiares.

DOENÇA

A depressão é uma doença multifatorial. Junto a suas comorbidades, é considerada “o mal do século XXI”. A Organização Mundial de Saúde (OMS) localiza-a como uma das principais causas de “anos vividos com incapacidade” e “perda de anos em termos de morte prematura e perda de anos de vida produtiva”.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.